• Felipe Araujo

VENOM: TEMPO DE CARNIFICINA (2021)



Uma sequência estúpida e engraçada.


Eddie Brock (Tom Hardy) tenta revitalizar sua carreira entrevistando o assassino em série Cletus Kasady (Woody Harrelson), que se torna o hospedeiro do simbionte Carnage e escapa da prisão após uma execução fracassada.


Em Venom: Tempo de Carnificina a dinâmica entre Eddie e Venom é o ponto alto do longa assim como no filme original. Mas enquanto Venom (2018) levou mais da metade de sua duração, com diversos problemas de roteiro e ritmo, até estabelecer essa dinâmica, na sequência esta é aproveitada ao máximo desde o primeiro momento. O humor que esta dinâmica trás funciona em quase todos os momentos, até mesmo quando se torna um pouco infantil.


Michelle Williams retorna como Anne Weying, e embora alguns de seus diálogos sejam bem estúpidos, ela consegue entregar uma performance no tom certo do longa. Harrelson está bem como Cletus Kasady/Carnage, mas nada muito diferente de outros personagens excêntricos que o ator já representou. A trama envolvendo Cletus e a personagem Frances (Naomie Harris) é apenas funcional, trazendo cenas de ação regulares e com o final carregado de efeitos especiais que já virou praxe de filmes de herói. A personagem de Harris por si só não é tão bem utilizada, com a subtrama envolvendo o Detetive Mulligan (Stephen Graham) não sendo tão envolvente.


O filme tem cerca de 90 minutos, bem mais curto que outros filmes de super-heróis atuais, mas a duração parece ideal, créditos ao diretor Andy Serkis que acerta no ritmo e ao roteiro enxuto de Kelly Marcel que dividiu os créditos com outros dois roteiristas no primeiro filme, ela e Hardy são os responsáveis por conceber a história deste.


No entanto todos os outros elementos do filme são realmente apenas adereços para o relacionamento entre Eddie e Venom, elevado pela hilária performance de Hardy. A cena em que Venom vai para uma rave gay e diz que saiu do armário de Eddie, após uma briga entre ambos, solidifica o tom de comédia romântica do longa. E neste aspecto o filme funciona muito bem e é uma melhora surpreendente a partir do original.


VENOM: TEMPO DE CARNIFICINA (2021)
3.5/5 - BOM