• Vitor Miranda

WHAT DO WE SEE WHEN WE LOOK AT THE SKY (2021)


Com uma narrativa apaixonante e lírica, "What Do We See When We Look at the Sky" é um exorbitante lembrete da dádiva que é a vida.


O filme conta a história de um menino e menina que se conhecem por acaso e se apaixonam a primeira vista, mas o rumo de suas histórias são mudados quando ambos são afetados por uma maldição que muda completamente suas aparências da noite pro dia. Com o intuito de criar uma fantasia romântica para o espectador, o diretor decide não mostrar a fisionomia dos jovens antes da mudança, o que se torna uma peça chave para que o filme funcione como uma experiência fantasiosa.


O filme foca nas ações ordinárias dos indivíduos e da comunidade em que vivem e mostra como elas são mudadas pela maldição que os atinge. Para o filme, todos os habitantes são ligados - direta e indiretamente. O impacto é sentido por toda a comunidade que os cerca, dando a sensação de que, para o diretor, todas as vidas importam, independente de seus valores narrativos.


O filme não necessariamente trabalha com a perda, apesar dos protagonistas terem se perdido um do outro, mas a ideia de nunca mais ser capaz de reconhecer uma pessoa que você se apaixonou é devastadora. Mesmo assim, o filme não toma rumos melancólicos, pelo contrário, todos os momentos do filme, por mais pequenos que sejam - como uma partida de futebol que permanece como uma das melhores sequências do ano - irradiam vida e exibem a felicidade que atingimos através do senso de comunidade.


Como uma boa poesia, é novamente no acaso que os protagonistas se reencontram. Esse momento possuí um tom fantasioso e mágico, mas o diretor transforma toda a beleza dessa cena em algo aparentemente comum e corriqueiro, como se tudo aquilo fosse uma obra do acaso. Apesar disso, não existem exageros ou infantilidades narrativas, é a pura sensação de que, apesar da maldição, eles estavam destinados a ficarem juntos.


Os aspectos técnicos do filmes não ficam pra trás, pelo contrario, ajudam a elevar todas as escolhas narrativas do longa, como a narração constante que pondera diversas questões e busca suas respostas nas simplicidades da trama sem parecer didático. É através da fotografia e da trilha, que determinam o tom lírico e poético do filme, que o espectador tem a sensação de que está presenciando algo único.


"What Do We See When We Look at the Sky" desfaz a linha entre a realidade e a magia e as abraça com a mesma intensidade, afinal, o que é a vida senão um série de acasos? Talvez a resposta para pergunta do título não seja algo concreto, mas nada aqui é, todas as perguntas feitas através do longa são respondidas conforme as experiências singulares de cada espectador, que caso se abram para a estrutura ímpar da história, serão recompensados por essa carta de amor à vida.


"WHAT DO WE SEE WHEN WE LOOK AT THE SKY" (2021)
4/5 - ÓTIMO