• Vitor Miranda

PETITE MAMAN (2021)


'Petite Maman' é tedioso, vazio e desprovido de qualquer tipo de vida.


O novo filme de Celine Sciamma é curto, o que não o torna interessante, visto que os 72 minutos do longa parecem durar horas. O filme que possui uma premissa simples, não tem nada a dizer. Todos os temas que o filme tenta abordar, seja a infância, seja a relação dos filhos com os pais e o luto, acabam sendo rasos e pouco aproveitados. Sciamma provavelmente estava com um bloqueio criativo na hora de fazer o filme e sua direção aqui está no piloto automático em direção ao abismo.


Simplicidade não equivale a preguiça, que é o grande problema do filme. Tanto o espectador quanto os envolvidos nessa brincadeira infantil de mau gosto parecem estar cumprindo suas funções por obrigação. Não esperava grandes atuações vindo de crianças que claramente não são atrizes profissionais, mas as duas atrizes mirins são péssimas e parecem estar sonâmbulas durante as cenas. A edição acaba transformando tudo que é ruim em horrível. Além de ser ilógica e possuir cortes grotescos, deixa um grande intervalo entre os diálogos das atrizes, dando a impressão que havia alguém por trás das câmeras avisando que estava na hora delas repetirem as falas.


Vindo de um filme perfeito como "Retrato de Uma Jovem em Chamas", aqui Sciamma faz parecer que todos os seus acertos anteriores foram pura sorte. A diretora não consegue construir uma história interessante nem transmitir alguma mensagem, tudo que ela realiza aqui parece ter sido feito por um estudante de cinema no oitavo semestre do curso. É amador, desengonçado, pedante e vazio.


O filme acaba não possuindo nenhum fator positivo. Tudo ao seu redor, desde a fotografia até a trilha sonora, é previsível, monótono e desinteressante. É um filme sem classificação e sem público alvo, o que faz questionar se a sua existência é realmente necessária. É infantil demais para o público adulto, mas botaria qualquer criança que o assista para dormir. É um trabalho sem destino, jogado por Sciamma na busca por alguém que o aceite. É uma tentativa desesperada e patética da diretora de alcançar um público que possa ter rejeitado "Retrato de Uma Jovem em Chamas".


'Petite Maman' só não é uma catástrofe maior porque não tem conteúdo pra isso. A indiferença causada por esse trabalho que não possui qualquer tipo de inspiração é pior do que a sensação de não gostar de um filme ruim.


'PETITE MAMAN (2021)'
1/5 - PÉSSIMO