• Vitor Miranda

PERFECT BOYFRIEND (2022)


Parte da cobertura do International Film Festival Rotterdam.


Misturando as relações humanas com a tecnologia, ‘Perfect Boyfriend’ é um retrato cínico das conexões humanas nos dias de hoje. Dirigido por Alain Della Negra e Kaori Kinoshita, o longa retrata a vida de três adultos que se relacionam com uma boneca virtual. Os três agem como se aquela personagem fosse uma pessoa real, levando ela onde eles vão e interagindo como se ela estivesse de fato lá. O filme mostra como cada indivíduo lida com isso de sua própria forma, mostrando que mesmo que seja o mesmo personagem digital, as ações e sentimentos reais são o que tornam a experiência tão única e especial.


O filme funciona bem como um retrato sobre a solidão e como muitas pessoas encontram o conforto necessário na internet. É como se aquela personagem idealizada por eles fosse o suficiente para preencher o vazio que o cotidiano apático causou neles. Um dos personagens até possui uma namorada real que tenta a todo custo chamar sua atenção, mas ele parece estar mais interessado em interagir com a personagem digital que é a pessoa idealizada por ele. E talvez isso seja um exemplo de como parece que nós estamos apenas atrás daquilo que nos traz total conforto. Ter uma namorada digital é uma forma de escape de todas as discussões e complexidades que acontecem em um relacionamento normal. É uma necessidade dolorosa por algo que nos faça escapar de toda a dor e do desgosto causado pelo mundo real.


A fotografia digital ajuda a tornar o filme mais real e ajuda a definir o tom da narrativa, mostrando o quanto a tecnologia faz parte do nosso cotidiano, às vezes até parecendo que estamos assistindo a um documentário sobre relações digitais nos dias atuais. A atuação é muito natural e realista, embora possa parecer amadora no início. Para um filme baseado em relacionamentos tão complexos, a narrativa é bastante simples. É uma história em camadas contada em uma narrativa muito direta. A trilha é atraente e faz com que a cena final permaneça em nossas mentes.


Talvez a sinceridade da história possa parecer muito cínica às vezes, mas este retrato sobre o impacto digital nas relações interpessoais é interessante e atrativo o suficiente para fazer a experiência valer a pena.



"PERFECT BOYFRIEND" (2022)
3.5/5 - BOM